Dicas de como cuidar dos pets na estação mais fria do ano

Cuidados no inverno

O último dia 20 de junho marcou a chegada da época mais seca e fria do ano. Neste período, muitas doenças respiratórias causadas por vírus e bactérias costumam surgir caso os bichinhos não recebam os cuidados necessários. Por isso, a médica veterinária Lara Mantovani Volpe, analista de treinamento técnico da ADIMAX, fabricante de alimentos para cães e gatos, dá dicas essenciais para o tutor garantir o bem estar do seu pet.

Em qualquer estação do ano, a carteira de vacinação do pet deve estar em dia. A correta imunização garante que ele esteja protegido de doenças que podem até levar ao óbito. A gripe canina, por exemplo, é uma das patologias mais comuns do inverno e pode ser evitada combinando a correta vacinação dos cães com os demais cuidados de higiene e saúde.

Segundo Lara, “As vacinas polivalentes protegem contra as principais doenças respiratórias que são comuns no inverno. O animal deve começar a receber as doses desde filhote e é muito importante que receba o reforço anual, para que a eficácia da vacina seja mantida.” 

Apesar de cães e gatos conseguirem regular bem sua ingestão hídrica, é importante que o tutor se mantenha atento ao consumo de água, deixando-a disponível o tempo todo, sempre fresca, em temperatura ambiente e em potes limpos. A hidratação adequada garante melhor proliferação de células, inclusive as de defesa, além de colaborar para manter a integridade da pele, que é uma fundamental barreira protetora do organismo.

Assim como nós, os pets também podem sentir frio quando a temperatura caí, por isso garanta que o pet tenha um local para se abrigar do frio e do vento, principalmente a durante a noite.

No banho, evite usar água muito quente, pois é prejudicial à pele do animal. No entanto, este não é o único ponto em que devemos prestar atenção. Após o banho, é fundamental secar bem a pelagem. Pode ser utilizado secador em temperatura morna para tornar a secagem mais eficaz. Importante evitar de logo em seguida deixá-lo exposto ao frio e vento.  

Há quem afirme que usar roupas nos animais pode ser um exagero, no entanto, é uma ótima dica para as raças que não possuem tanto pelo e necessitam de uma ajuda extra para manterem-se aquecidos. Mas atenção! Não se esqueça de trocar e lavar a peça regularmente, além de escovar os pelos e deixar a pele respirar entre essas trocas. 

A alimentação, assim como a vacina, é um dos pontos mais importantes na manutenção da saúde do pet. Independentemente do clima, é essencial que os bichinhos tenham acesso a todos os nutrientes necessários para uma boa qualidade de vida. Proteínas, gorduras, vitaminas e minerais devem estar presentes em quantidades corretas na alimentação de cães e gatos. Animais que vivem em ambientes externos e em regiões onde o inverno é muito rigoroso – como nos estados mais ao sul do país, onde a temperatura pode chegar a abaixo de zero graus – podem necessitar de aumento na quantidade de alimento para a manutenção de seu peso corporal durante o inverno. Entretanto, na maior parte do Brasil essa medida não é necessária. 

Para calcular a quantidade ideal de alimento a ser fornecido para cães e gatos, deve-se levar em conta fatores como idade, porte, nível de atividade física, ambiente, temperamento, condição corporal ou doenças. Por isso, consultar o médico veterinário é o mais recomendado.

“Alimentos completos e balanceados contêm quantidades ideais de cada nutriente, o que é fundamental para a imunidade do pet e para muitas outras reações do organismo. Um bom suporte nutricional, principalmente nessa época fria do ano, é muito importante, pois, além de promover todos os benefícios da nutrição correta, fornece as calorias necessárias para manutenção da temperatura corporal nos meses mais frios do ano”, completa Lara.